A máquina

Publicado no caderno Prosa & verso, do Jornal O Globo, 12 de maio de 2012.

A máquina, que deu nome ao site onde agora conduzo experimentos narrativos, apareceu primeiro em outra história curta, que se você não leu, pode ler no blog.

Ela me encanta como um símbolo para várias coisas, que prefiro não explicar, na esperança que assim sejam melhor entendidas.

Também, se você não viu, pode ver, também no blog, uns planos fictícios de construção do aparato.

A partir disso e do convite do Globo para ocupar uma página do caderno de literatura, criei essa abaixo, quatro segmentos para ocupar uma página inteira.

E minha idéia era que, mesmo com o jornal dobrado em quatro partes para a leitura, cada segmento pudesse ser lido perfeitamente.

O que deu quase certo, como você pode ver na foto. Mas fiquei feliz com o resultado, resultou em uma página bonita se se ver ao vivo.

A matéria continua no ar, mas como as imagens estão em baixa resolução, coloco a história aqui, agora organizada genealogicamente com seus links paternos e maternos.

Quiçá outras aconteçam.



Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s